domingo, 12 de novembro de 2017

Matriz do 2º teste do 10º ano

cristiano ronaldo e a lógica

Duração: 50 minutos

Estrutura: Escolha múltipla. Questões de resposta curta. Exercícios de lógica.

Objetivos:

1. Explicar os seguintes conceitos: tese, argumento, premissa, conclusão, objeção, refutação e lógica.

2. Explicar o que é uma proposição.

3. Distinguir frases que exprimem proposições de frases que não exprimem proposições.

4. Explicar o que são ambiguidades e distinguir ambiguidades semânticas e ambiguidades sintáticas.

5. Explicar porque é importante – na filosofia e noutras áreas do conhecimento - evitar ambiguidades.

6. Classificar proposições quanto à qualidade (afirmativas e negativas) e quanto à quantidade (universais, particulares e singulares).

7. Reescrever frases universais, particulares e singulares de modo a que as proposições sejam expressas de modo canónico.

8. Nomear e explicar as relações lógicas contidas no Quadrado da Oposição.

9. Determinar o valor de verdade de proposições dadas tendo em conta o Quadrado da Oposição.

10. Negar proposições universais, particulares e singulares.

11. Explicar o que é uma conetiva (ou operador) proposicional.

12. Distinguir proposições simples e compostas.

13. Nomear as conetivas proposicionais consideradas pela lógica proposicional: negação, conjunção, disjunção (inclusiva e exclusiva), condicional e bicondicional.

14. Identificar a forma canónica e algumas formas alternativas de cada conetiva proposicional.

15. Reescrever frases com conetivas proposicionais de modo a que as proposições sejam expressas de modo canónico.

16. Identificar e usar os símbolos representativos das conetivas proposicionais (constantes lógicas).

17. Saber o que são variáveis proposicionais.

18. Fazer o dicionário de proposições dadas.

19. Formalizar proposições dadas.

20. Reconhecer o âmbito das conetivas proposicionais usadas numa proposição.

Para estudar:

Fotocópias e PDF’s.

Não é só na filosofia que a ambiguidade é um problema

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

As gerações futuras não são "parvas"

Resultado de imagem para não quero ser professor

De acordo com um estudo (cujos resultados foram apresentados recentemente), só os alunos mais fracos manifestam interesse em vir a ser professores. Eu compreendo esta falta de vocação para a "missão" da educação: mal pagos; sem reconhecimento social pela profissão; vítimas de concursos injustos e humilhantes; vítimas das constantes experiências inovadoras dos sucessivos governos (sem que se faça qualquer balanço dos resultados das medidas implementadas); congelados e sem perspetiva de o tempo de serviço vir a ser considerado; sem qualquer perspetiva de reconhecimento objetivo do mérito profissional (ao contrário de outras profissões); alguns deles com maus horários e um número excessivo de níveis; vítimas de uma burocracia diária sem fim (que se prolonga pela noite dentro e nos fins de semana); muitos a fazer quilómetros para receberem no fim do mês...

Ah e, então, o prazer de ensinar? Bem o meu filho mais velho, há anos atrás, quando questionado acerca da profissão futura, disse: "Eu ser professor, achas que sou parvo? Não assisti durante anos à vida que tu e o pai têm?"

Portanto, as gerações futuras não são "parvas", revelam antes inteligência ao procurar fugir do ensino. Eu diria que muitos dos que continuam a ensinar hoje só o fazem porque não têm alternativa. Esta é a triste realidade a que chegamos e que, talvez, merecesse ser alvo de um estudo sério.

sábado, 21 de outubro de 2017

Exame nacional de Filosofia 2018: informação IAVE

Resultado de imagem para philosophy

IE_EX_Fil714_2018 by Anonymous M0pDTwqg on Scribd

Matriz do 1º teste do 11º – ESLA

Duração: 90 minutos + 10 minutos

Estrutura: Escolha múltipla. Questões de resposta curta. Exercícios de lógica.

Objetivos:

1. Indicar o objeto de estudo da Lógica.

2. Explicar o que são proposições.

3. Analisar exemplos, distinguindo frases que expressam proposições de frases que não expressam.

4. Explicar o que são ambiguidades e distinguir ambiguidades semânticas e ambiguidades sintáticas.

5. Explicar porque é importante – na filosofia e noutras áreas do conhecimento - evitar ambiguidades.

6. Distinguir proposições simples e compostas.

7. Explicar o que é um operador proposicional.

8. Conhecer os operadores considerados na lógica proposicional: negação, conjunção, disjunção (inclusiva e exclusiva), condicional e bicondicional.

9. Reescrever frases de modo a que as proposições sejam expressas de modo canónico.

10. Formalizar proposições.

11. Conhecer e compreender a tabela de verdade de cada operador proposicional.

12. Explicar e exemplificar o que são condições suficientes e condições necessárias.

13. Determinar as condições de verdade de proposições compostas através da construção de tabelas de verdade.

14. Distinguir tautologias, contradições e continências.

15. Explicar o que são argumentos.

16. Distinguir argumentos e não argumentos.

17. Identificar as premissas e a conclusão de argumentos apresentados.

18. Reescrever argumentos, colocando-os na forma canónica.

Para estudar:

PDF’ s enviados

Não é só na filosofia que a ambiguidade é um problema

Condições necessárias e suficientes: análise de um exemplo

A negação de proposições condicionais

O que é um argumento?

Páginas do manual adotado: da 14 à 20; da 51 à 71.


lógica Quino

Quino

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Matriz do 1º teste do 10º ano

Que Quer Dizer Tudo Isto -  Uma iniciação à Filosofia de T. Nagel

Duração do teste: 50 minutos.

Estrutura do teste: Um grupo com itens de escolha múltipla; um grupo com diversos itens de resposta curta e um item de resposta extensa (será pedido ao aluno que redija um texto argumentativo).

Objetivos:

1. Conhecer pelo menos oito exemplos de questões filosóficas.

2. Explicar porque é que as questões filosóficas são concetuais.

3. Explicar porque é que as questões filosóficas são básicas.

4. Explicar porque é que as respostas dadas às questões filosóficas raramente são consensuais.

5. Distinguir questões filosóficas de questões não filosóficas em exemplos dados.

6. Mostrar porque é que a filosofia requer pensamento crítico.

7. Explicar os seguintes conceitos: tese, argumento, premissa, conclusão, objeção, refutação e lógica.

8. Explicar o problema subjacente à pergunta “os fins justificam os meios?”.

9. Enunciar as duas principais teses acerca desse problema.

10. Relacionar essas teses com o Utilitarismo e a Ética deontológica.

11. Explicar argumentos a favor dessas teses.

12. Explicar objeções contra essas teses.

13. Comparar esses argumentos e objeções.

14. Defender uma posição relativamente ao problema de os fins justificarem ou não os meios.

Para estudar:

Caderno.

Fotocópias.

PDF’s

O que é a filosofia?

Estudo da religião: a parte da Sociologia e a parte da Filosofia

Problemas filosóficos e problemas não filosóficos

Descubra a questão mais básica

Argumentação não praticante?

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Barcelona Gipsy Klezmer Orchestra –“Djelem Djelem” e “Lulle Lulle”

Resultado de imagem para Os romana (ciganos) da roménia


Barcelona Gipsy Klezmer Orchestra:

“Djelem Djelem”.


Barcelona Gipsy Klezmer Orchestra:

“Lulle Lulle”.

A primeira é uma canção tradicional dos Roma (ciganos) e a segunda é uma canção tradicional albanesa.